8 de novembro de 2011

De quem é a vez?

Pare, agora!
        A Lei Nacional de Trânsito foi criada com o intuito de melhorar, organizar o tráfego nacional, urbano ou rural, na tentativa de fluir rapidez, qualidade de vida, segurança, etc, de pessoas e mercadorias.
        Mesmo em um estado/nação considerado continental por suas dimensões ou mesmo nos minúsculos Espaços Geográficos como Esperantina o trânsito tem papel importantíssimo no desenvolvimento econômico, social e educacional. Este mesmo trânsito para ser atingido na sua essência deve ser feito para nós e por nós. Dado pelo estado e feito por nós através da educação, educação esta também dada pelo estado. Aqui dar para perceber a responsabilidade do estado para o devido estado de direito que temos em relação a ir e voltar em vias públicas dignas e à nossa altura.
        Nosso trânsito é de mão-dupla. Com uma mão cobram-se taxas abusivas e com a outra dar-se vias esburacadas, sujas, imundas, sem sinalização e sem segurança.
        Esperantina vive este dilema.
        A arrecadação do órgão competente está na casa de números impensáveis. Montante e mais montante de dinheiro.
         Multas, renovações, taxas de habilitação, taxa X e mais taxa Y é o que entram todos os meses no DETRAN estadual.
         E o que sai para nós? Carros e homens à procura de mais taxas e multas nas blitz espalhadas no território dos cocais. Então caros colegas estas blitz periódicas de todas as semanas não são feitas para normalizar nosso trânsito. Elas têm outro fim. Para arrecadar mais dinheiro. Será que nem um semáforo dar para ser colocado para ver se pára tanta arrecadação?
         Já dizem as más línguas que este dinheiro todo serve para bancar campanhas eleitorais. Opas! No próximo ano já têm outra.
          Sabemos que o atual chefe da CIRETRAN da terra de Leonardo das Dores não é o culpado, mas quem o colocou lá. Então o buraco é mais em cima.
          Themistocles Filho presidente da ALEPI e, de acordo com a PF, suspeito de desviar milhões de reais da sociedade piauiense não está nem aí com o trânsito de sua cidade natal.
          Primeiro não mora aqui meio aos buracos, segundo anda mais de avião do que de carro e terceiro as blitz não irão para seus 11 carros muito menos tirar-lhes suas 7 armas do poder.
          Então de quem é a vez? Devo parar para vocês prosseguirem ou devo prosseguir para vocês pararem?
          As eleições vêm aí e devemos saber de quem é a vez.
          Aqui em Esperantina estamos assim. Não sabemos em que esquina devemos parar, em qual devemos seguir. Quando nenhum pára há um acidente acompanhado de uma morte. 
          Esta situação faz me lembrar de um velho dito: "se correr morre, se ficar morre também".
          De quem é a vez? Minha ou sua? Nossa ou deles? Não podemos é morrer achando que está correto ficando parados.
Blitz semana. Enquanto isso buracos comem soltos

Nenhum comentário:

Postar um comentário