14 de outubro de 2017

Melhor ficar calado

- Shiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii!
- Silêncio por favor!

- Vocês não estão percebendo que quanto mais eu ficar calado, de boca fechada, será melhor para mim.

- Não estou querendo ter o silêncio dos lobos muitos menos o silêncio de Deus, apenas quero ouvir o silêncio que reina Esperantina, seja de manhã ou de noite.

- No meu morro e com meu silêncio agora 'ouço' o silêncio de uma cidade inteira.

- Se eu falar qualquer coisa neste momento de turbulência na segurança pública da cidade, poderei morrer pela boca.

- Sou alvo fácil de boca aberta nestes tempos, no entanto, se eu ficar no meu silêncio logo tudo isso passa e a voz do meu "sucesso'" voltará.
- Encontrarei alguém para levar a culpa, os órgão que fiscaliza as línguas malditas não irão chegar a mim, o povo voltará a lembrar do pão e do circo e tudo estará  novamente como eu quero.

- Não é omissão minha. É jogo estratégico. Fui eu que constitualizei/legalizei este pânico todo.
- Para aliviar as dores e angústias de todo um povo, meu silêncio falará por mim enquanto muitas vozes foragidas estão dando bom dia e boa noite nas portas de cidadãos que aprenderam ficar calados/omissos pelos simples natural de viver como reféns de um sistema político/financeiro/social/cultural.

- Nenhuma palavra nestes tempos inseguros será, para mim e minha carreira, melhor do que o meu silêncio.
- Tenho que guardar voz para o ano vidouro. Aí sim, vou falar muito, muito além do que precisam, pois só assim terei muitas oportunidades de me silenciar, novamente, quando for oportuno a mim e aos meus ilimitados desejos e anseios.
- Enquanto isso minha cidade grita por socorro e eu faço de conta de que não escuto. Nunca escutei mesmo, agora que não vou dar 'ouvidos'.

- O que ganhei para este meu silêncio de hoje? Ganhei anos atrás na construção da casa de papel onde abrigava vozes caladas pela marginalização criada pelo próprio Estado, em todos os setores de uma vida que deveria ser SOCIAL.

Novamente, shiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii, próximo ano falarei.

Nenhum comentário:

Postar um comentário