22 de março de 2011

A Geografia do Comércio e Serviços esperantinenses!

A Geografia da Indústria, Comércio e Serviços é uma subdivisão da Geografia Econômica. Este ramo da ciência geográfica tenta esboçar aspectos que modifica a configuração não só do espaço urbano, mas também do rural.

Esperantina é tida como uma cidade comercial. Vem se "desenvolvendo", melhor dizendo, vem "crescendo" ao longo dos tempos nesta atividade que requer cada dia, meio a globalização, de toda uma rede de infraestrutura.

Com toda velocidade e intensidade este ramo produtivo tem modificado o espaço. Vai da paisagem criada - paisagem humanizada - até no comportamento humano não só de fazer tal paisagem mais sim de como agir depois de tal paisagem construída.

Observando Esperantina nos últimos meses pude observar que o Espaço Geográfico está sendo modificado com a transferência de um ponto comercial da R. CEL José Fortes Sul para região Norte da referida rua.
Com esta transferência da principal Agência bancária de nossa cidade não haverá grandes modificações quanto à urbanização doméstica, pelo contrário haverá grandes mudanças quanto à urbanização de pontos comerciais informais.

Para uma indústria, comércio ou mesmo serviço se instalar em determinado espaço/tempo existe alguns fatores que favorecem tal processo, eis alguns:
* Capital
* Energia
* Mão-de-obra
* Matéria-prima
* Mercado consumidor e,
* Meios de transporte.

Capital a agência não precisa, mão-de-obra, apesar de que houve um concurso no domingo, pouca diferença fará nesta transferência. Matéria prima e Mercado consumidor somos nós funcionários públicos, comerciantes e aposentados com nossos vencimentos e necessidades respectivamente.

Faltou falar da Energia e meios de transporte. O que podemos dizer sobre estes dois importantes pontos para o funcionamento de qualquer indústria, comércio e serviço?
Podemos dizer que enquanto o Governo não disponibilizar mais eficiência no abastecimento de energia Esperantina irá continuar a crescer e não se desenvolver. Resultado? Falta de emprego, renda. Sem falar da falta de ônibus para levar nossos jovens e pais de famílias para longe de seu aconchego familiar atrás de melhores condições de vida.
Quanto aos transporte o trafego irá melhorar, a sociedade irá contar com mais entradas e saídas para se chegar à agência, sem falar que o estacionamento poderá melhorar caso o público contribua para isso.

No entanto chamo a atenção dos órgãos competentes quanto à segurança privada e pública do banco: da mesma forma que terá mais entradas e saídas para as pessoas que fazem uso dos serviços prestados pelo bando, teremos mais entradas e saídas também para os assaltantes de banco espalhados pelo Brasil a fora.

Em suma: a geografia do comércio e serviços de Esperantina está passando por uma grande modificação. Para melhor ou pior vamos esperar o tempo dizer.
O que sei é que muitos pontos de emprego irão crescer como podemos ver nas fotos.
Poder Público faça sua parte, fiscalize, arrecade impostos, no entanto distribua tais impostos através da reforma da pracinha, asfaltamento das ruas ao redor de tal agência, iluminação, segurança, saúde social e ambiental, etc.

3 comentários: