5 de janeiro de 2012

Por que Professor não pode lecionar de Bermuda?

Assim?
Um fato me chamou a atenção nos protestos dos estudantes teresinenses contra o aumento da passagem dos ônibus coletivos neste dia 03/01.
Um advogado foi espancado e detido somente por não está vestido de terno e não ter se identificado como tal durante as passeatas dos estudantes na AV. Frei Serafim na capital piauiense.
O presidente da OAB/PI Segifroi Moreno entrou com um pedido de afastamento dos policiais que fizeram a detenção alegando que por está apenas de BERMUDA não tira da posição de advogado o jovem Enzo Samuel.
Adequando este fato ao mundo da sala de aula me pergunto: por que professor não pode lecionar de bermudas? Existe alguma determinação legal que proíba o professor dar aula de bermudas?
"Professoras" podem vim de mini-saia, costas nuas, tomara que caia e "professor" não pode trabalhar de bermudas, em que país estamos vivendo?"(Professor Bernardo Augusto).
Com essa indagação do caro colega professor fico a matutar sobre a questão.
Em 2009 professores do Rio de Janeiro foram autorizados a trabalhar de bermudas por conta das altas temperaturas.
Se no rio estão reclamando da temperatura imagine nós do Nordeste brasileiro.
Alguns são contra, outros são a favores.
Defendemos que cada empresa (pública ou privada) tem que ter sua cara, sua ideologia e vejo isso na imagem que é repassada ao público. Estou falando do fardamento. Defendemos que professores tem sim que ter uma farda, mas isso não impede que seja composta por bermudas. Os alunos têm farda, por que os professores não? Fica a indagação.
Não estamos querendo dizer que o nudismo deve expandir para sala de aula. A aparência ainda conta muito para quem têm e deve repassar uma imagem, não superior, mas de exemplo. Uma bermuda não deixa de ser um exemplo de uma boa imagem. Tudo isso depende da evolução educacional de quem está frente a frente com quem estará usando a bermuda.
O traje sempre representou certa manifestação de consideração para com as pessoas.
Ex: Num casamento, numa entrevista de negócios, etc, as pessoas buscam sim uma aparência legal, que eleve e valorize seu potencial seja ele familiar, profissional, cultural, social.
Sim concordamos que a aparência alça o valor de cada um de nós, mas não vivemos apenas de aparência. O que adianta um professor ter uma boa aparência, ser "deslocado", atual nas suas vestimentas, está na moda, como dizem por aí, e não ter conteúdo, base para dar uma boa aula?
Um alienado e todo "certinho" Marcos Luiz Garcia do Rio disse que prefere ser "educado, polido e elevado" do que ser um homem das cavernas. Quanta idiotice.
O assunto é complexo e não quero voltar outrora, no entanto, prefiro ver nas salas de aulas professores de bermudas nutridos de conhecimento do que engomadinhos ladeados de racismo, preconceito, tradicionalismo ancião.
Ou Assim? Foto ilustrativa

Nenhum comentário:

Postar um comentário