27 de novembro de 2012

Mais uma vida perdida no Hospital de Esperantina.

O que era para ser uma realização de um sonho transformou-se em pesadelo. 
Sabemos que a problemática da saúde brasileira está longe de ser resolvida e a chave da solução ao mesmo tempo está onde começa o problema: política de colarinho.
Na Sexta-Feira passada (23/11) mais um recém-nascido morreu no Hospital Julio Hartman.
E de quem é a culpa?
Caso tenho um culpado o mesmo deverá pagar por não ter dado a chance de uma criança viver neste mundo tão belo e ao mesmo tempo tão perverso.
Será que foi o SUS o culpado por a criança ter morrido no parto?
Será que foram os ajudandes do médico de plantão que não fizeram o trabalho correto para a criança nascer?
Será que foi a falta de tecnologia que não ajudou a criança vim viva ao mundo de Meu Pai?
Foi a mamãe que não fez um pré-natal adequando aponto de a criança nascer morta?
Será que foi a estrutura do Hospital que não ajudou?
Ou foi o prefeito? O Deputado? O outro Deputado? O Governador? O presidente?
Foi falha humana ou não? 
Disso eu não sei, só sei que nada sei, já ouvi isso antes, é que o Chico, que neste caso não é o prefeito e sim o todo poderoso da medicina avançada, estava presente.
Por que não fizeram o parto de forma cesárea? Por que insistiram no parto normal?
Entre tantos problemas na saúde não é mais admissível uma criança passar nove meses esperando para nascer e trazer boas novas à humanidade e este ciclo da vida ser interrompido por uma pessoa ou mesmo uma infra estrutura (humana ou não) decadente.
Está até parecendo um matadouro humano invés de hospital de gente.
De quem é mesmo a direção do Hospital que nunca muda?
"O jeito é você engravidar para nascer uma esperança de criança. Só não var nascer no Júlio Hartman caso contrário é capaz de nosso futuro fazer parte da Mortalidade Infantil bem longe de uma Expectativa de Vida longa para seus cabelos brancos de tanto esperar na fila da amargura por um sol que há de brilhar para todos".

Fto - pt-br.facebook.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário