1 de maio de 2008

SAÚDE EM FOCO

Mais de 32 milhões de brasileiros consome álcool de forma abusiva, isso equivale a 17,5% (dezessete e meio) da população de nosso país. Esses dados são do Sistema de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico, o VIGITEL, conduzido pelo Ministério da Saúde.

Esses dados constatam um aumento de 8,7% (oito vírgula sete) em relação à ultima pesquisa do VIGITEL em 2006, comprovando assim o aumento do consome de bebidas alcoólicas em países emergentes, como o Brasil, em relação aos países desenvolvidos.

Os brasileiros que bebem exageradamente têm, em sua maioria, entre 18 (dezoito) e 24 (vinte e quatro) anos de idade.

Hoje uma das principais preocupações é a tendência de aumento no abuso de álcool pelas mulheres jovens. Elas já se equiparam aos meninos e 03 (três) em cada 10 (dez) bebe com freqüência.

Que tenhamos consciência de que quanto mais consome álcool na juventude, maior será a propensão ao alcoolismo na idade adulta.

Lembro a todos que quantidades moderadas de álcool, algo como 02 (dois) copos de vinho por semana, trazem benefícios ao coração e ao sistema circulatório. Mais do que isso pode resultar em danos irreversíveis ao fígado.

Em excesso, a bebida está associada a danos nas regiões celebrais ligadas ao aprendizado e à memória. Vai ver que é por isso que as obras para melhorias do povo esperantinense caíram no esquecimento, em especial a nossa querida Avenida Petrônio Portela que está a quase 03 (três) meses devastada por parte do poder executivo por falta de um, diga de passagem, aprendizado: “Trabalhar com responsabilidade é sinônimo de reconhecimento”.

Esperamos que, não apenas em ano eleitoral, alguns aprendam e lembrem de Esperantina.

O abuso de bebidas alcoólicas costuma ser freqüente em cidades pequenas, onde a oferta de atividades culturais tende a ser mais limitada.

“Cuidado Esperantina”!!!!!!

Segundo alguns especialistas na área, são necessárias mais políticas públicas tão ofensivas quanto o do cigarro para barrar este gigantesco mercado industrial que mira, sobretudo os Jovens.

Nenhum comentário:

Postar um comentário