18 de agosto de 2008

AS NASCENTES DO RIO LONGÁ

Os alunos do curso Médio Integrado da Unidade Escolar Leonardo das Dores, juntamente com os professores Odisseia Brejal e Francisca Maria Marques (Biologia) e Francinato Lima e Macelino Keliton (Geografia) e o ambientalista esperantinense Elias Júnior produziram um relatório sobre expedição por eles chefiada às nascentes do rio Longá, no último sábado (16/08/08). O documento é um diagnóstico sucinto sobre o nível de devastação ambiental na área, felizmente não explorada por grandes empresas. Daí a possibilidade de criação de uma área de preservação, sem que haja indenizações – defenderam tantos os estudantes como os docentes.

A visita às nascentes do rio Longá foi feita em um micro-ónibus cedido pela Coordenação Estadual da Educação em Esperantina.

A expedição visitou também uma área onde existem pedras com pinturas rupestres. Segundo o professor Macelino Keliton, os primeiros estudos indicam que as pinturas datam do final do período neolítico, quando os homens antigos se fixavam às margens dos rios, como forma de sobrevivência.

A professora Francisca Maria Marques disse em sua primeira viagem em 2001 que o superintendente do Ibama no Piauí, Romildo Mafra, sugeriu, durante a visita, que seja instalada uma APA – Área de Preservação Ambiental, o que se daria com a instalação de um Conselho para administrar o uso disciplinado da área.

Em seus relatórios, os estudantes sugere que seja feita uma conscientização sobre o Meio Ambiente, para a elaboração de uma proposta a ser submetida aos habitantes da região.

O professor Francinato Lima ao discursar em sala de aula sobre o resultado de sua visita à nascente do Rio Longá, informou que as sugestões colhidas junto aos técnicos e pessoas outras serão discutidas na Unidade Escolar Leonardo das Dores junto a sua administração.

Vários colegas de trabalho dos mesmos como também outros alunos da mesma Escola se solidarizaram com os técnicos do Meio Ambiente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário