12 de maio de 2009

POLÊMICA NÃO, DESENTENDIMENTO SIM?

Recebi do Profº Paulo Afonso o seguinte comentário sobre a invasão da Unidade Escolar Leonardo das Dores:
"O professor Patrócollo realmente é um homem que a todo instante muda o seu discurso. Quando ficamos sabendo da INVASÃO ocorrida na escola a direção participou de uma reunião que aconteceu no mesmo dia na Sec. Mun. de Educação e comunicou que a partir daquele momento a escola estava entregue à defesa civil municipal.

Às 18:30 quando estive no portão da escola o professor Patrócollo me pediu que ligasse as luzes da escola, respondi a ele que não estava com as chaves da mesma naquele momento e que não estava respondendo por aquela instituição desde o momento da INVASÃO, diante disso novo CRIME foi cometido pois mais uma vez sem nenhuma permissão institucional ou legal a DIRETORIA da escola foi também invadida".

Uma coisa tenho certeza convicção: existe vários fatos, concretos e não concretos, que criou esta polêmica em nossa cidade durante este período de enchente.

E digo, pelos fatos que conheço, que a Escola Estado da Paraíba estava liberada pela coordenação do Estado para abrigar as tais famílias. A desculpa foi que a bendita escola estava fechada quando a defesa civil lá chegou com os desabrigados. Então, creio que, se foi possível arrombar o "Leonardo" sem permissão, porque não arrobaram o "Estado da Paraíba" escola esta que estava liberada?

Vejo que para ajudar, ninguém deve medir esforços, seja órgão estadual ou municipal, mas ao meu ver, porque não levaram estes desabrigados para uma escola municipal? Todos nós sabemos que existem escolas do município sem nenhuma família atingida pelo dilúvio. Exemplo disso é a Escola Maria das Graças no Palestina. Escola esta mais apropriada no momento para receber estes seres humanos que sofrem por estarem fora de suas casas. Digo isso devido o "Leonardo" como alguns podem saber, sofrem com suas áreas alargadas além do mal cheiro devido as fossas estarem totalmente cheias. Portanto a escola "Maria das Graças" apresenta mais higiene para estas famílias por está seca e mais adequada em relação à saúde higiênica de cada um.

Não estou aqui defendo A, B ou C. Estou relatando fatos de real cogitação. E um deles é que, acredito eu, esta invasão foi nada mais do que uma birra do poder da política imunda que temos em Esperantina. Fizeram de propósito só para demonstrar que tem autoridade para mandar e desmandar em órgãos públicos estadual e municipal.

Quem perde com isso? Vamos esperar para ver.

Nenhum comentário:

Postar um comentário