4 de setembro de 2009

A INQUIETUDE EGOCÊNTRICA

Quando você está super feliz a raiva tem que aproveitar esses momentos belos e estragá-los. A saúde escassa também aproveita esses momentos. E o fone do lado esquerdo também.



Peguei-me pensando em por que não choro quando estou irado. Antes eu fazia de tudo: berrava [esse desejo ainda continua sendo guardado], quebrava, cortava [coisa não muito boa de se fazer], brigava. A única coisa que me orgulho da raiva é o fato de não descontar em quem não merece. Antes eu fazia isso. Apenas isso.

E o que me enfurece é o crescimento dessa raiva que te move. Sim, sim! Ela te move!

Pessoas são movidas por amor, ódio e necessidades.

Digamos que amar e odiar faça parte das necessidades humanas não - praticamente que te façam crescer mesmo sendo nada legais e te matam. MATAM, MATAM, MATAM!

Essa palavrinha que de trás pra frente é a mesma coisa é real. MATAM! Os sentimentos te matam, me matam, todos somos mortos em vida e vivemos intensamente. Mesmo com raiva.

Mas a vida é bela para ficar pensando e sentido raiva.

Até o momento não consigo esconder meus sentimentos, sejam eles, bons ou ruis.

Estou inquieto dentro do meu egoísmo para entender tal fato.


Nenhum comentário:

Postar um comentário