16 de dezembro de 2010

Coisas pequenas!

Vocês já olharam para o céu hoje? Viu o pôr-do-sol? Ouviram os passarinhos e o galo cantando bem cedinho?
Estas são coisas pequenas que, com o passar do tempo, vamos deixando de observar e de valorizar. Infelizmente fazemos o mesmo com as pessoas que estão a nossa volta!

Você poderia tentar me concertar dizendo que invés de "coisas pequenas" o correto é "pequenas coisas", mas isso não passa também de uma coisa pequena, entenderam? Eu também não. Vamos deixar isso pra lá antes que isso torne uma grande coisa.

Fui criado assim, em uma família super apaixonada! Somos do tipo que, aniversário, dia das mães, dia dos pais e outras tantas datas comemorativas até mesmo o natal que há chegar a poucos dias não são realmente levadas a sério, pois não precisamos de uma data específica para dizer eu te amo, dar aquele velho abraço confortante, unir as mãos num caloroso aperto de mão. Explicando que as datas acima citadas são sim levadas a sério, no entanto quero dizer que não apenas nestas datas demonstramos o nosso amor um ao outro.

Parece besteira, rotineiro? Pra mim, não! Sabe por quê? Porque isso me ensinou a valorizar o outro, a ver em pequenos gestos, grandes sentimentos!

Isso são apenas exemplos de coisas que fazem a diferença na vida de alguém! Devemos ser extremamente felizes assim! Não precisamos, digo eu e você leitor que nos descreve agora, estarmos distante da pessoa amada, dos familiares, parentes e amigos para dar o devido valor de um ser humano que necessita desabrochar o amor através de gestos e palavras. O que devemos é deixar o medo de lado, o orgulho desaparecer de nosso ego, a vergonha virar sinônimo de felicidade por uma atitude, mesmo que seja todo dia de nossas vidas, digna de arrancar suspiros.

Quantas vezes alguém, aqui, já levou café na cama pra mãe? Quem já lavou o carro do pai só pra fazer uma surpresa? Quem arrumou o quarto do irmão só pra ele ter mais tempo para estudar? Não precisa dizer, pois já sei a resposta. Mesmo assim continuarei a escrever.

Quantas vezes observaram que um amigo precisava de um abraço? Já parou para escutar o que os outros têm a dizer? Já ficou feliz pela felicidade de alguém de verdade? Já tentou ajudar alguém, sem que tenha sido preciso ele implorar para isto?
Reconheço que quando um amigo não confia compartilhar seus problemas comigo fico triste. Por um minuto, acho, ao mesmo tempo em que "não sou mais confiável ou eu virei, mesmo sem querer, as costas para tal amigo".

Muitas vezes somos tão egoístas, ao ponto de achar que não vamos precisar dos outros! Não vivemos sozinhos no mundo! Não precisamos de carros caros, de roupas de marcas, nem de um avião...


Caso ainda não tenha visto o céu estrelado ou cheio de nuvens, ouvido os passarinhos ou mesmo o galo cantando hoje talvez seja a rotina de cada dia, os prédios, a poluição sonora ou simplesmente não parou para observar que você está dando importância a coisa grandes sem valor. Olhe ao lado, sinta seu lado esquerdo bater e ...

Porque as coisas pequenas... são as que realmente importam!

Um comentário:

  1. O autor tem razão, não precisa de datas especiais para mostrarmos que gostamos de alguém, a nossa felicidade é feita por "coisas pequenas."

    ResponderExcluir