10 de outubro de 2011

Por que não amar?

Neste início de século, época de mudanças a mil, Esperantina ganha cada vez mais adeptos à leitura. Para que haja leitura há de ter quem crie e escreva as histórias.
Apesar de que ainda não sei o que vêm na história do novo livro de Roque Neto - Por que eu Amei - já dar para ter uma idéia só observando a capa.
Temos o costume de fazer isso mesmo: pela cara fulano é assim, mais assim e mais assim. Um tipo de tentar decifrar pelos cegos olhos de rapina.
Já prestaram a semelhança do livro "Narciso Tédio e Fúria" com o "Por que Amei" do mesmo autor Roque Neto?
Religiosidade, crença pagã, homens sem fé e sem direção, coisa do tipo onde cifro que a convivência nos costuma a ensinar.
Aqui não estou para denegrir a imagem de ninguém muito menos a imaginação de quem quer que seja.
Mais aqui estou, cheio de expectativa, para iniciar mais uma leitura de um escritor conterrâneo.

E fico mais feliz pela inovação em divulgar seu trabalho. 
Usando a mídia e principalmente a fraqueza amorosa dos homens, em especial, dos ultras-jovens esta produção de vídeos afirmando Por que eu Amei vai dar o que falar.
Contribuir, porque não?
Devemos amar seja na velha Discoteca como na nova Igreja. No trabalho de cada dia como também no descanso mensal.
Em casa, na esquina, no Longá e no matagal sempre devemos amar. Seja na paroquial, no passado e no futuro. Mesmo sexo, sexo diferente não importa, pois o que importa é: e porque não Amar?
Não deixe de mandar seu vídeo, respeitando as normas, para ver se você ganha uma boa leitura de fim de ano para continuara a amar a vida toda.

Nenhum comentário:

Postar um comentário