8 de abril de 2013

Né não?

A cidade está desamparada. Veio um DEM e nada fez, apesar de que tantas outras siglas vieram e pouco mudou.
A cidade está parada. Esteve aí uma estrela e pouco brilhou.
A cidade está do jeito que conheço há mais 20 anos e somente a verticalidade do poder tem expandido enquanto a horizontalidade dos mais fracos continua a mesma.
Não vejo esperança para os próximos dias tampouco não sinto necessidade de fazer algo diferente para os outros se não para mim. Isso já é o bastante.
Enquanto muitos prédios privados são erguidos da noite para o dia, como forma de consolidação da especulação dos mais fortes sobre a mão de obra dos mais fracos, vivemos, ainda, no século XIX: sem teatro, sem cinema, sem estádio, sem biblioteca, sem praça de esporte, sem transporte, sem saneamento básico, sem o básico do básico. Apenas muitos ônibus dando carona para os jovens que viajam lá para fora como forma de se viver aqui dentro, mesmo sem contar com os estudos adequados para a verdadeira mudança interior, e no bolso também.

É rocha (pernambucano) viver assim mesmo que seja égua (paraense) ter que aceitar tudo isso calado. Macho (cearense) temos que mudar essa realidade escolhendo melhor, pois assim será animal (paulista) termos um futuro onde ninguém precisará de merrecas (carioca) em troca de nossas obrigações.

Fico desolado em saber que, ainda, um show em homenagem a Raul Seixas, produzido por uma dupla de nossa querida e mal tratada cidade será realizado em uma churrascaria qualquer. Pior ainda, se é que pode piorar, ter que ver reuniões pedagógicas sendo construídas em uma Igreja. Amém, amém e amém em nome da salvação de um povo, de um grupo de humanos denominados "esperantinenses".

Né não?

Um comentário:

  1. As administrações não estão fazendo um esforço nenhum, pela cidade, sua população, os jovens não tem um lazer nos fins de semana, uma coisa pra ser diferente do cotidiano e eles só estão pensando em si próprios, aliados partidarios e seus testas de ferro.

    ResponderExcluir