4 de outubro de 2013

A alma geográfica da Mulher.

Foto: jornalismoimperfeito
Podem até descobrir todos os caminhos possíveis do planeta terra. Pode a ciência desenvolver as técnicas mais sofisticadas para habitar Marte, mas as performances geográficas das curvas lineares ou não da mulher jamais serão desvendadas.
Maioria no planeta, presentes nos continentes, oceanos, mares, países, cidades, sonhos de todos nós, a mulher tem sim sua presença marcante na semelhança natural.

O que falar das florestas tropicais (quentes) e equatoriais (mais quentes ainda) no corpo da mulher? Seja na cabeça ou no 'sovaco' (axila) ou ainda naquele lugar que você agora pensa sempre teremos dificuldade de penetrar, percorrer, conhecer. Caso resolvermos ir para o Deserto do Saara, na Mulher, estaremos caminhando para a parte solitária de seus sonhos onde pela manhã é quente, a noite é frio, no entanto sempre úmido de novidades.
E o que falar da escalada do Monte Everest onde na mulher ou é a bunda ou os seios? Caso você tenha acabado de conhecer uma mulher você vai ter um caminho longo e muito trabalhoso para poder chegar até eles, porém depois que conseguir chegar lá, a descida vai ser bem mais fácil e muito prazerosa. Devemos ir devagar para não cair não é mesmo? Ao descer dessa Cordilheira podemos seguir os traços dos rios onde podemos caminhar pelos lados molhados das depressões ou mesmo planícies mais remotas que enxergamos.

No pé localiza a poluição atmosférica, a feiúra em si. Mais acima ficam as falhas geológicas do joelho. Ao passar dessa região estamos deslizando pelas coxas, aqui podemos dizer que são torres naturais com vegetação rasteira que apoiam o território proibido, seja o Monte Everest ou o córrego da perdição. O umbigo é um vale, uma depressão onde não podemos passar a boca para não ter desequilíbrio ambiental no planeta como um todo.
Foto: colmeia

As linhas da cintura parecem mesmo com as curvas de cidades planejadas, hora retas, hora fechadas. 
Suavizando a imagem temos que dizer que o núcleo, quente e desconhecido, não deixa de ser o coração. Bate forte e quando ultrapassa o normal surge evidências da superioridade de um mundo escondido nas profundezas de seus pensamentos.
A parte líquida pode ser da boca e outros ambientes. O vulcão não tem como deixar de ser comparado com a amiga de todos os meses. Uma explosão de gases.
Ao subir para a parte florestal da cabeça temos uma bela paisagem vista de olhos azuis, verdes, pretos, amarelos, grande ou pequenos, puxados ou largos. Não importa. O que importa é que os olhos mostram toda a beleza que a mulher tem por dentro como nos rios de águas cristalinas. O que importa também é ver e sentir a suculenta boca com lábios parecendo morros pintados de vermelho. O rosto é um verdadeiro campo liso, suave, alguns com buracos feitos de espinhas. Não vem ao caso. O que vem ao caso é a aparência de uma África onde parte já foi descoberta, outra não.

Para conseguir uma aliança entre homem e mulher precisa-se de muitos acordos, de muita diplomacia e relações sociais e econômicas para um bom entendimento. O bom diálogo não pode ficar de fora.

Sem mais comparações digo que "sou o que eu penso, para vocês, sou o que eu transmito".
Foto - capinaremos

Nenhum comentário:

Postar um comentário