29 de março de 2014

Retrocesso da Educação em Batalha-PI.

A cidade de Batalha vive hoje como se ainda estivesse na época do absolutismo, do coronelismo.
A 154 km da capital Teresina, a 24 km de Esperantina, nos dias atuais esta cidade vive a 'séculos' de distância dos DIREITOS de cada um dos servidores da educação.
Não é admissível que a Gestão de Teresinha Lages queira DEMITIR servidores concursados. Tanta luta, tantos esforços, tantas batalhas vencidas em sala de aula quando estudante para tornar-se um servidor com carreira sólida e agora muitos concursados se deparam com esta política de acossamento.
Foto: correioluziense
No dia 18 do corrente mês a Prefeitura de Batalha divulgou no Diário dos Municípios um Decreto esclarecendo junto a quem quer que seja o interesse de demitir alguns servidores concursados da pasta da Educação sobre alguns pressupostos que na minha humilde opinião são vergonhosos e sem nenhuma conotação para com o desenvolvimento intelectual e social dessa cidade que vive uma Batalha para encontrar um gestor que respeite, verdadeiramente, seus funcionários como ser humanos que são.

Invés de estarem dando ênfase ao encalço junto aos professores com alegação de que querem o melhor da educação do município aqui vão algumas sugestões de melhoria para o município e seus gestores:
* paguem os carros tidos como transporte escolar, pois viver de atraso no pagamento não faz o município andar para frente, pelo contrário, anda para trás. Não é aceitável atraso no pagamento por mais de 35 dias principalmente desde do mês de Agosto do ano passado, ou seja, 7 meses.
* depois que pagarem os carros pau-de-arara tidos como transporte escolar é bom respeitar a Lei pondo ônibus com qualidade para transportar nossas crianças. Vocês da atual administração não são os primeiros a falarem em Leis? Então respeitem a Lei do Transporte Escolar - PNATE (10.709 de 31/07/03).
* após respeitarem a Lei do Transporte Escolar passem a respeitar a Lei da Merenda Escolar. Crianças batalhenses estão passando fome em escolas. Onde está sendo comprada a merenda escolar de Batalha? Os 30% da verba da merenda escolar destinados para aquisição junto à Agricultura Familiar está sendo respeitada? Até hoje não vi nenhum produto oriundo da agricultura familiar na U. E. Tenente Freitas.
* parem de contratar professores sem concurso público. Dizem que querem demitir servidores da educação do último concurso com alegação de que tem muita gente na folha de pagamento. Agora pergunto, por que ainda estão contratando pessoas para trabalhar em sala de aula? Se for a falta de professora de Inglês por que transferiram uma professora de Inglês para uma região onde nem escola existia? Abriram apenas uma sala de aula para pôr esta determinada professora como forma de represália contra quem um dia reclamou por seus direitos. Isso eu chamo de perseguição ao ser humano.
* quando é para pagar o segundo turno só pagam 80% do salário, mas, para tirar o segundo turno, retiram os 100% do valor da remuneração. Esta Lei de Batalha parece ser de outro país, pois Lei Federal não atinge a administração de Teresinha Lages.
* e por último, devo dizer que o Termo de Conduta assinado no ano passado serve para os dois lados: lado dos professores e para vocês da gestão municipal, então cumpram o mesmo.

E o programa Federal "Mais Educação"? Se não funciona no perímetro urbano, será que irá funcionar na zona rural? Se o transporte escolar não está sendo suficiente para os alunos em seus respectivos turnos, imagine nos segundos turnos onde o aluno para receber o reforço escolar precisará passar o dia inteiro na escola.
Tem professores do município com 80 horas (em duas instituições de ensino) que estão sendo forçados a desistirem de 20 horas. Certo puxa saco de Teresinha já veio à Supervisão de Ensino Estadual de Esperantina para pegar a lista de professores do Estado para saber se também são funcionários de Batalha. A Lei diz que deste que haja disponibilidade não há problema algum, mas por birra e, novamente repito, por perseguição estão querendo colocar ainda mais os professores debaixo do chinelo. A secretaria de educação do Estado não tem interesse algum em ver professores de seu quadro desistindo de seus direitos. Mas em Batalha tem professores de 40 horas sendo forçados a desistirem de 20 horas. Outros já perderam às 20 horas sem mesmo serem avisados. Acho que isso vai contra a Lei. Como é que sou concursado com 40 horas e agora estou recebendo por 20 horas? Só em Batalha mesmo.

Em menos de um ano de mandado o governo de Teresinha Lages já mostrou que não quer o bem da educação das crianças batalhenses. Muitas crianças já se evadiram do município à procura de escolas de Esperantina, Boa Hora, Piracuruca com alegação de que em Batalha não existe respeito tanto para com os alunos muito menos para com os profissionais que deveriam ser estimulados a trabalharem com segurança, tranquilidade, incentivados, pois o resultado seria bem melhor para todos. No entanto, os profissionais estão indo para sala de aula como profissionais abatidos, deprimidos e com isso passam a ser tidos como ruins por conta de malfeitores da política que não cumprem com suas promessas de campanha eleitoral.

"Na vida nada é tudo, tudo é pouco e pouco é nada, portanto, vivemos em um ciclo vicioso".

Nenhum comentário:

Postar um comentário