23 de setembro de 2014

Meio às flores!

Meio à escuridão que nossa cidade se encontra, existe as flores.
Meio às turbulências partidárias, existe o odor das flores.
Meio à estiagem pela qual a Região Sudeste passa, existe um colorido das flores.
Meio às migrações forçadas pelas quais o Norte africano e o Oriente Médio se encontra, há esperança.
Meio ao desenvolvimento econômico das últimas décadas do Nordeste brasileiro, há um flor.

Meio as incertezas do dia seguinte, espere uma flor.

Meio aos desmatamentos da Floresta Amazônica, espere mais um flor.
Meio à corrupção brasileira e especificamente esperantinense, existe um flor.
Meio ao novo 'amém' esperantinense, existe uma flor.
Meio as promessas falsas de nossos partidários dos dias atuais, há um flor.
Meio ao sonho de dias melhores, esperai por uma flor.
Meio aos estudos, caminho do progresso, esperai uma flor.
Meio às outras 03 estações do ano, eis que existe um flor.
Meio às brutalidades contra os negros, às mulheres, idosos e crianças, esperai mais uma flor.
Meio a falta de oportunidade e consequentemente à desigualdade social que assolam nosso país, buscai uma flor.
Meio as mentiras acompanhadas de apertos de mãos, existe uma flor.

Ontem (22/09/14) meio às 23:00 e 23:30 começou a estação das flores - Primavera - e aqui está você sendo uma flor murcha.
Abra seu coração, para você, e depois caminhe na trilha do amor e da prosperidade. Faça sua parte, feliz, para encorajar que lhe rodeia.
Pise forte ao chão, aprenda a cair e quando se levantar, pois terá que se levantar, traga em sua mão uma flor de esperança e aprendizagem humana.

Feliz primavera a todos.

Fto - floresecultura

Nenhum comentário:

Postar um comentário