3 de novembro de 2014

Terceira Geração

As relações sociais se constroem ao longo do tempo e da intensidade do convívio entre as pessoas. 
Os costumes e hábitos passam de geração por geração. O 'sangue' é muito forte nesta compilação de raças e comportamentos.

Como diziam um velho amigo: "os troncos velhos deixam rastros".

Muitas das nossas atitudes vêm de berço, mas ao tempo que convivemos em sociedade os nossos atos se modificam da mesma forma que podem modificar as gerações que ainda há por vim. 

Neste fim de mês rosa (mama) e início de mês azul (próstata) as gerações na qual faço parte puderem se aproximar, pelo menos no amor e no sangue.

Minha filha, pela primeira vez, esteve no túmulo de seus bisavós Paternos, Rita e Raimundo, na cidade de Tianguá-CE no dia dos finados para, antes de mais nada, celebrar a vida.


Maria Sophia, terceira geração - logo após sua vovó paterna (primeira geração) e seu papai (segunda geração) dará continuidade à família 'Silva' seja daqui de Esperantina seja da cidade de Tianguá onde nasceu a primeira geração.
Foi um momento ímpar. Deu para sentir uma renovação, pois a morte não é o fim de tudo.

Não tive o prazer o conhecer todos os meus avós como minha filha já teve. Bisavós muito menos. E olha que Maria Sophia conheceu e ainda pede a benção à bisavó paterna e materna.
Que as gerações 'Silva' continuem a dar belos frutos para uma sociedade mais prospera e feliz.

Um dia todos nós nos encontraremos.
Viva os vivos e os mortos.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário