26 de dezembro de 2014

V+O=VO, T+O=TO

A preocupação dos pais para com seus filhos inclui aquela velha e chata conhecida frase: o que você vai ser quando crescer?
Certos filhos de imediato respondem que querem ser 'doutores' (médicos). Outros, tidos como ingênuos, querem ser professores.
Filho de professora, confesso que nunca aprendia soletrar. Não fui estimulado para tanto, no entanto aprendi a ler, mesmo que tenha sido depois de uma velha 'taca' por ter aprendido primeiro as horas.
Os filhos vão crescendo e a mesma pergunta lhes perseguem. Agora no ambiente escolar. Colegas de turma, professores e diretor (a) continuam a fazerem a mesma pergunta.
De uns tempos para cá, últimos vinte anos, devido a evolução da mídia e tantos outros fatores os filhos estão tendo outras opções de respostas. Vão além das duas mencionadas. 
Por incrível que parece tem filhos hoje dizendo que querem ser 'Políticos' quando crescerem.

Todos os motivos ainda não enumerei para que os filhos de hoje querem ser tais políticos, mais aqui cito as que consegui:

*Não precisam ter 'estudo';
*Trabalham pouco;
*Ganham muito bem no fim do mês.

Para um país que almeja ser grande, desenvolvido, esta politicagem de sistema onde aceita pessoas deixarem seu 'emprego' para tornar-se político, ganhando bem, é um pé no freio da expansão social de qualquer lugar do mundo.
Não aprendi a soletrar. Aprendi a ler. Não sou bom na escrita, sou professor e até o momento, graças aos meus pais pela demonstração das duas extremidades de uma política social que um filho pode viver na infância, não sou político partidário.

E depois desse B+A=BA das últimas sessões do ano de 2014 da Câmara Municipal de nossa cidade é que não quero mesmo ser este fantoche dos interesses capitalistas.
Dos 13 vereadores que 'nos' representa na Câmara Municipal, quais deles sabem ler, sabem soletrar, tem o Ensino Médio Completo ou mesmo o Ensino Superior? Quais deles deixaram seu 'emprego' para usufruir da máquina pública? 

É verdade que se eles estão lá na Câmara 'nos' representando é porque a maioria da sociedade os escolheu.
A pergunta agora vai para o outro lado do viés: é a sociedade que não sabe ler e soletrar adequadamente ou é por falta de opção? 

Temos que ver os dois lados. A sociedade não sabe escolher seus representantes e quanto aos escolhidos, estes não sabem administrar para o povo.

Se escolhermos analfabetos, analfabetos nos representarão. Se os adultos não sabem soletrar e nem querem que seus 'filhos' aprendam, a lição de casa não será aprovada.
Continuaremos a sermos reprovados ano após ano, pois quem tem a maior obrigação de fazer leis, de fazer-las serem cumpridas, de investigar os gastos públicos não tira uma nota azul (6,0) imagine eu aqui sentado frente ao computador tentando acertar na soletração de casa, tentando encontrar os erros cometidos nesta 'redação' escolar.

Tudo isso por conta de dinheiro. Alguns especialistas educacionais dizem que o mal da educação é a falta de dinheiro para ser investido. Será por isso que alguns analfabetos políticos querem ser ressarcidos pelo que não conseguiram na infância durante o pouco tempo de estudo?

Não sei a resposta agora. Talvez não saiba amanhã. 
Vou aqui continuar a aprender a soletrar a "língua dos homens" públicos para aprender a educar seus filhos na sala de aula na esperança de não termos mais analfabetos políticos.

"Na vida nada é tudo, tudo é pouco e pouco é nada".

Nenhum comentário:

Postar um comentário