10 de abril de 2015

Menos, menos.

A vida no século XXI não está fácil. É bem verdade que melhorou em vários aspectos. Consequentemente apenas outros percalços do dia-a-dia, em sociedade, surgiram.

O trabalho exige de nós mais do que nunca. Filhos, nem se fala. Doenças e mais doenças. Doenças relacionadas ao trabalho, à necessidade de alguns de aparecerem na mídia devido o medo de não serem reconhecidos socialmente, stress, depressão entre outras.

Veio a tecnologia e com ela a preocupação de se globalizar. No âmbito da comunicação, o homem nunca ficou tão próximo, e ao mesmo tempo distante, de seus semelhantes como agora.

Entre idas e vindas, os direitos de se expressar, em todas as suas obrigatoriedades e facetas, foram sendo conquistados. Diga de passagem, para o bem da democracia e do conhecimento.
No próximo dia 16 este espaço geográfico online irá completar 07 anos de atividades, de trabalho e trocas de experiências, ou seja, de informação e conhecimento.
Não sou Jornalista. Não sou escritor, muito menos gramático. Isso dar para perceber, risos. Mesmo assim fui incentivado a dar minhas parcelas de observações geográficas sobre este espaço que nos rodeia chamado de Esperantina por uma pessoa próxima. De início o desafio quase não foi aceito. Agora, desafio obrigatório!

Falar de nossa cidade não poderia deixar de falar de sua gente. Como a cidade é pequena, todos se conhecem, nem tão amigos assim.

Quando falo que não fumo maconha muito menos dou murro em ponta de faca, ainda tem gente que não acredita.
Há tempo meu coração não bate bem. Minhas visões não estão iguais ao olho de Tandera, minhas ilusões estão vindo sem álcool e mesmo assim o mundo não me entende. Que bom, risos novamente.

Quando menciono alguém em minhas humildes opiniões, logo meu número de telefone viaja de boca em boca.

Gestores municipais, colegas do passado, parceiros de trabalho e profissão, ideologistas partidários, são os mais preocupados com os meus escritos, como se eu não fizesse apenas críticas quanto às obrigações profissionais e elogios particulares.

Cada um tem sua forma de ver e interpretar os fatos. 
Só quero dizer que deveriam ser menos nervosos. Olhem pelo lado bom da coisa. Seus nomes estão sendo divulgados sem malícias por minha parte e saibam que minhas fontes não podem ser reveladas.

Abraços.

Nenhum comentário:

Postar um comentário