28 de janeiro de 2016

Outros lados do Futsal


É lamentável termos que nos dirigir a assuntos amadores perante uma realidade profissional.
Foram vinte dois mil reais apenas de inscrição.
São mais cinco reais de cada apaixonado a cada rodada onde sempre a casa está cheia, então podemos dizer que são no mínimo um mil e quinhentos reais de bilheteria por rodada.

Há alguns patrocinadores que contribuem para festa.

Então dinheiro não é o problema.
O governo do estado cedeu o ginásio. Fez até algumas adaptações. Nem tanto, nem tanto.
Mas aqui volto a bater na bola furada da competição:
* segurança é preciso. A prova disso que o vice-prefeito quase batia na arbitragem.

* Saúde é direito. Não só para a torcida, mais para os atletas que estão dentro de quadra se gladiando atrás da vitória. O que aconteceu na última rodada? Um atleta quase morreu em quadra por falta de uma equipe de saúde.

* Limpeza (sinônimo de saúde e segurança) é preciso. Os homens brasileiros já são mal educados, imagine não ter um local adequado para colocar a enorme quantidade de lixo produzido a cada rodada, a cada jogo.
Sem falar que os banheiros/vestiários são de matar qualquer um de nojo. Os próprios atletas não os usam pela sujeira acumulada. Uma equipe de formadas por duas pessoas davam para fazer a limpeza durante os jogos, além proporcionar higiene aos atletas e torcedores, estaria promovendo trabalho em renda.

Mesmo com todos estes problemas, estarei presente nos próximos dois jogos na esperança de desfrutar de bons momentos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário