17 de janeiro de 2017

Educomunicação

Você é Educomunicador?
Esta pergunta pode lhe estranhar.

O termo Educomunicação é novo e por isso vocês podem estranhar esta pergunta.

Este termo nasceu das pesquisas do Núcleo de Comunicação e Educação (NCE) da Universidade de São Paulo no final da década de 1990.

Trata-se de um campo de estudos e de práticas metodológicas, aplicadas em projetos e programas de educação e gestão ambiental, entre outros, onde a comunicação tem papel diferenciado nos processos educativos, de gestão e de mobilização social desenvolvido pelo professor Ismar de Oliveira Soares.
A Educomunicação pressupõe formação de pessoas para utilizarem a comunicação como ferramenta de intervenção na realidade em que vivem, produzindo seus próprios canais de comunicação de forma coletiva. 

Implica na reflexão e no desenvolvimento de ações coletivas que garantam o acesso à informação de qualidade, seja ela ambiental, cultural, social entre outras, visando a garantia de acesso aos recursos tecnológicos que proporcionam o "fazer comunicativo".

Nesse contexto, a comunicação não corresponde apenas às ações para divulgação de políticas ou projetos de educação e gestão ambiental, pois requer adequada inserção num projeto político-pedagógico local e estar relacionada a processos formativos participativos.

Isso implica que a produção de materiais comunicativos não é o foco da comunicação, mas sim todas as etapas envolvidas na produção destes materiais, desde o aprendizado do "como fazer" até os desdobramentos que a disseminação e circulação deste material pode acarretar (abertura de canais de negociação, conquistas, fortalecimento da organização social, valorização da cultura local, etc) num trajeto circular em constante auto-alimentação.

Contribuição: ENCEA
Fto - educaçãointegral

Nenhum comentário:

Postar um comentário