29 de março de 2017

O IDHM dos municípios por Território de Desenvolvimento

A Fundação Centro de Pesquisas Econômicas e Sociais do Piauí (CEPRO) que tem como presidente Antonio José Castelo Branco Medeiros tem como missão estatutária sistematizar e/ou produzir dados e informações que ofereçam subsídios para o planejamento da atuação da administração pública estadual e municipal e para o debate sobre os caminhos do desenvolvimento do Piauí.


O Governo Estadual, ao elaborar o PPA – Plano Plurianual 2016-2019, definiu como meta-síntese atingir em 2022 o IDHM de 0,800 de nível muito alto de desenvolvimento na classificação do PNUD, partindo do nível médio de IDHM – 0,646 – em 2010. Daí a priorização do acompanhamento de indicadores que sinalizem o avanço do IDHM no Piauí e em seus municípios.
Nesse horizonte, é que a Fundação CEPRO assumiu o Projeto “Piauí 2022: IDHM+ e ODS”. E o IDH dos municípios piauienses por Território de Desenvolvimento é parte deste Projeto.


O piauiense Paulo Machado, que hoje mora em São Paulo, disse "90% dos municípios piauienses continuam com IDH semelhante a nações africanas".

Pura verdade!

O IDH divide se em: muito baixo, baixo, médio, alto e muito alto.

Entre os 22 municípios do Território dos Cocais, apenas 02 estão com IDH Médio: Esperantina e Piripiri.
Todos os demais estão com índices Baixo.

Focando apenas a última década, com relação ao IDHM Geral, os municípios que alcançaram maior evolução foram Morro do Chapéu do Piauí, onde o IDHM era 0,297, em 2000, e passou, em 2010, para 0,550, havendo uma variação em termos absolutos de 0,253 pontos; e Lagoa de São Francisco, que passou de 0,312, em 2000, para 0,529, em 2010, com o aumento de 0,217 pontos.

Já o município que menos se desenvolveu foi São João da Fronteira.

Hoje quem se encontra com o melhor IDH dos TD (Território de Desenvolvimento dos Cocais) é a cidade de Joca Marques.

Mesmo assim, todas as cidades desse território como de todos os do estado ainda precisam evoluir a educação, a saúde e renda de suas populações (três parâmetros de medição para o IDH).

Tendo como foco cada dimensão de forma separada - renda, saúde e educação, de 2000 a 2010, temos os seguintes dados:

O município que mais evoluiu no quesito RENDA foi: Domingo Mourão. O maior é o de Piripiri. E o menor é o de Madeiro.

O município que mais evoluiu no quesito SAÚDE (longevidade) foi: Barras. O que menos evoluiu foi o de Piracuruca. O Maior também é o de Barras e o menor é o de Luzilândia.

O município que mais evoluiu no quesito EDUCAÇÃO foi Madeiro. O que menos evoluiu foi São João da Fronteira. Atualmente que tem o maior IDH em Educação é Piripiri.

Alguns municípios de nossa região estão em estado gravíssimo quanto ao IDH Educação: Batalha, Campo Largo, Joaquim Pires, Morro do Chapéu e São João do Arraial.

E que muitos outros estudos científicos como estes sejam feitos para termos mais conhecimentos reais sobre a realidade que nos é apresentada. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário