2 de maio de 2012

2 de Maio - Dia do Longá, há, há, há

Majestoso Rio Longá, esquecido como as malandragens politicadas em anos de eleições, hoje pouco é lembrado.
Dois de Maio, dia especial para sua revitalização, nada é feito se não sua maior poluição.
Águas a derramar pelo seu córrego na abundância de multidões de inocentes agentes ambientais na simples forma de uma Lei Orgânica na qual ninguém precisa.
Precisa-se é de cede de poder. Poder para continuar a desperdiçar suas brilhosas cristalinas pérolas do amor.
Sobe e desce. Vão e Vem.
A nostalgia se perdeu na manhã de uma tarde escura ao amanhecer da escuridão do perdão dado a seres humanos tão frágeis de sensibilização pela sobrevivência de uma geração.
A vida hoje morre. 
Profundamente minhas lágrimas derramam mesmo tanto atadas minhas mãos.
Pouco faço na maioria das vezes quando vejo que nosso rio morre. Quem chora? Os peixes famintos.
Amanhã quem sabe será realizada outra sessão para dar monção de aplausos aos que não merecem banhar dessas águas.
Meu pesar não é para o rio Longá, mas para quem dele precisa.

Fto - Portalesp.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário