28 de janeiro de 2014

Quebrou? Emenda.

Foto: istoédinheiro. Referente à 2012.
Vamos emendar:
Eu emendo;
Tu emenda;
Eles emendam. Eles quem? Hum. Hum, hum.

Não muito distante de nosso ano, quando lá por volta da criancice, quando se via quebrar algum objeto ou pertence qualquer o negócio era emendar.
As condições financeiras não fáceis. Não tinha como renovar o estoque com uma simples compra. O meio ambiente agradecia.

Quem não viu emendar uma 'japonesa' (sandália)? Quem não emendou uma câmara (cama se dizia) de ar da monareta? Ainda existia oficina de biclicleta. Eita tempo bom. 
Quebrou o vaso? Emenda. Faltou água? Emenda. E os canos quebraram? Emenda também. Quebrou os fios elétricos? Emenda este diabo também. Quebrou a ponte, emenda. Quebrou os fiapos, emenda. 

Naquele tempo seu Luiz Gonzaga já cantava:

"Na emenda: amarre a corda direito;
Na emenda: pra corda não rebentar;
Na emenda: mas dê um nó de respeito;
Quero o povo satisfeito, brincando de emendar".

Agora não. Quem era do lado de cá fez uma emenda para se juntar ao povo de lá. Quantas emendas. Vixe, pelo jeito até o mês de Outubro o negócio é emendar. Depois vem 2015 sem nenhuma emenda. Quem sabe em 2016 algumas poucas emendas não existam entre governo estadual e municipal? Vamos esperar para as emendas emendar.

Só fico triste por que estas emendas são politiqueiras e feitas de quatro em quatro anos. Pior. Ainda tem gente sendo emendadas com estas emendas para angariar votos.
Caso uma rádio fale do contrário, emenda para fechar.  Fale a favor, emenda para continuar. A mídia é emendada para emendar o discurso de bons moços.
Todas as longínquas comunidades são emendadas nesta época do ano quando muitos lá se fazem presente.

Emenda para isso. Emenda para aquilo. Mercado emendado com o INSS e Caixa Econômica. Mais emenda para asfalto misturado com rodoanel passando na porta da universidade indo até a 222 aí dar uma volta, para continuar emendando, dando tantas outras emendas somente com o intuito de se aposentarem no poder sem saber o que realmente é emendar uma madrugada com uma manhã na fila de um hospital, emenda sem curativo de ver uma educação sem remédio e uma saúde sem uma solução. Emenda para diminuir as disparidades sociais entre os que são emendados e os que emendam não existe. Também não existe uma emenda para diminuir a contratação de empresas para fazerem jogos sujos debaixo do tapete vermelho durante a realização de muitas obras públicas. Onde fica a emenda da anticorrupção?

Pelo jeito o tempo de emendar alguma coisa para continuar a ser usada ainda continua, só que agora é na política partidária.
Ai que saudade de 'imendar' um bufete na cara de quem não merecia ganhar na brincadeira da bandeira.

"Sou o que eu penso, para vocês, sou o que eu transmito".

Nenhum comentário:

Postar um comentário