3 de setembro de 2014

A 'Batalha' por um Piso Salarial para os Professores.

A 'Batalha' continua.
Os servidores públicos da educação do município onde um homem manda, mas uma mulher é que assina, continuam na árdua luta para exercer seus direitos em relação ao mínimo que a classe da educação merece.

O cabeça branca de Batalha não gosta mesmo da educação.

Está fazendo de tudo para punir os professores, vigias, zeladores e demais profissionais, todos concursados, como represália ao desenvolvimento social da cidade que tanto diz que ama.
Merenda escolar que se resume em: 

segunda-feira = LEITE COM CUSCUZ;
terça-feira = CUSCUZ COM LEITE;
quarta-feira = LEITE;
quinta-feira = CUSCUZ e
sexta-feira = não têm merenda ou porque faltou merenda ou porque o gás acabou.

Transporte escolar que se resume em:
Pau de arara;
Insegurança para os alunos;
Atraso no pagamentos dos transportes;
Em algumas localidades os ônibus são totalmente lotados devido ser apenas um para umas dezenas de alunos.
Sem falar na contratação de carros, supostamente, repito: supostamente, de forma ilegal.

Demissão de funcionários.
A isso devo dizer que é apenas perseguição, pois tem professores com três vínculos empregatícios e mesmo assim não tiveram processos administrativos abertos em seus nomes. Outros profissionais estão com mais de 60 horas semanais de trabalho e mesmo assim também não tiveram processos administrativos abertos em seus nomes. Enquanto outros profissionais com 3 vínculos empregatícios ou com mais de 60 horas, não sei os motivos, tiveram sim processos administrativos abertos para perderem seus cargos que tanto suaram e estudaram para conseguirem através de um concurso público, que diga de passagem, legalmente autorizado pela Justiça. 

Estas fotos foram feitas no dia 22 de Agosto na Câmara Municipal da referida cidade onde mostram os profissionais da educação pressionando o poder Legislativo para não votar no projeto da prefeitura onde o projeto só quer dar aumento salarial, em relação ao PISAN, para os profissionais da Classe "A" deixando de fora os profissionais graduados, pós-graduados e mestre.

Na oportunidade apenas 03 vereadores dos 11 apareceram na Câmara. Como não foi possível tanto a leitura como, consequentemente, a aprovação do projeto devido a falta de 8 vereadores, a seção foi marcada para outra dada.

Acho que esta falta de vereadores foi artimanha do cabeça branca para conseguir aprovar este absurdo projeto.
Falar em falta, será que os vereadores faltosos terão descontos em seus salários no fim do mês? Até onde sei quando um professor falta é descontado uma enorme parcela de seu rendimento mensal.


Você ainda irá pedir votos seu cabeça branca. Ah se vai!

Nenhum comentário:

Postar um comentário