3 de fevereiro de 2015

As falácias de uma gestão municipal

"Em nossa cidade está tudo perfeito. 
Estamos fazendo uma administração pautada no desenvolvimento da cidade. Na área da educação tudo está bem. O que fazemos é com base na Lei. Iremos começar o ano pagando o Piso Salarial 2015 aos professores.
Merenda escolar e transporte escolar estão em absoluta sintonia com as necessidades de nossos alunos.
Saúde, agricultura familiar, assistência social, ou seja, em todas as secretarias de nosso município as coisas estão às mil maravilhas.
Não tem nenhum servidor sem receber seus direitos.
Iluminação pública e limpeza pública funcionam perfeitamente."

Um discurso desse não poderia vim de quem não faz parte de uma gestão municipal.


Por outro lado observamos, mais uma vez, que as façanhas de um bom orador perante o público em geral sobrai e ultrapassa a verdade, o bom senso.

Percebemos que as gestões municipais pelo Brasil a fora sobrevivem da mídia manipuladora.
Para isso elas (gestões) gastam todo mês um rio de dinheiro com a mídia, seja ela com carros rolantes, rádio, TV, panfletos, outdoor, Internet, etc.

Um discurso como este acima citado é fácil ouvimos de um político partidário que faz parte de um governo municipal qualquer.
É discursos escritos/corrigidos/editados por pessoas pagas apenas para fazer de um governo, ruim ou péssimo, o melhor para seus ouvintes.

Imagine aí pessoal, o que a população do Território dos Cocais estão achando do município de Batalha depois de uma entrevista realizada na última Sexta-Feira (30/01/2015) em uma rádio, paga por este e vários outros municípios, com certo espetacular e quase inigualável orador daquela cidade?

O chefe da oratória disse que no município de Batalha as coisas não podem ficar melhores porque por aquelas bandas tudo funcionam perfeitamente.
Não poderia ser diferente. O mesmo tem parentesco direito com o poder executivo e indireto com os poderes legislativo e judiciário, se é que vocês me entendem.

Caso o Sindicato dos Servidores Municipais de Batalha tenha mesmo coragem e boa vontade, o ano letivo de 2015 não irá começar é nunca, pois tem muitos servidores da educação que até hoje não receberam abono férias de 2013 e 2014, não recebem também o Piso Salarial de 2014. Tudo isso é direito conseguindo sob muita luta da classe em todo o país.

"Na vida nada é tudo, tudo é pouco e pouco é nada, portanto, vivemos em um ciclo vicioso".
Fto - oprogressonet  

Nenhum comentário:

Postar um comentário