9 de março de 2015

Briga na divisão de cargos na Câmara Municipal

A crise política pela qual o Brasil passa atinge todas as instâncias.
Seja no Congresso Nacional, nas Assembleias Legislativas ou mesmo nas Câmaras Municipais o ponto de equilíbrio entre governo e sociedade - a política partidária - se encontra em metamorfose.

Escândalos e mais escândalos nos deixa mais convictos do que já imaginávamos sobre as maracutaias partidárias para se manterem no poder.

Invés de trabalharem para o povo, a cada dia assistimos a ousadia financeira de quem nos representa, ou pelo menos deveriam nos representar, a ponto de fecharem os olhos para os mais pobre e necessitados.
Por estas bandas do Brasil observamos a monstruosidade política na Câmara Municipal no que diz respeito aos interesses próprios de cada um dos 13 vereadores que deveria nos representar.

Neste começo de ano analisamos o comportamento dos vereadores quanto à eleição para presidente da Câmara Municipal.
A briga foi grande.
Coisa de louco!

Cada um querendo o pedaço maior.
Os dois candidatos à presidência pregaram que iriam sanar as contas da 'casa do povo' que hoje se encontra de forma desequilibrada e fora do controle.

As reuniões na madrugada, promessas de cargos e tantas outras medidas foram tomadas. Pelo menos é o que acho.
O objetivo? Conseguir as benfeitorias da presidência.

Com a presidência do poder Legislativo nas mãos, pelo menos na cabeça da oposição, o poder Executivo teria que se curvar para conseguir colocar em práticas algumas ações governamentais.

Sabemos que cada vereadora tem vários cargos no poder executivo. Carros alugados para prefeitura, familiares contratados e tantos outros favores divididos.
Para falar a verdade, acho isso até normal. Dentro do limite, é claro!

No entanto surge uma dúvida: será que todos os familiares contratados pelos vereadores estão trabalhando, dando 06 horas de batente diário de Segunda a Sexta-Feira, contribuindo para com os mais pobres esperantinenses, batendo o cartão de entrada e saída, etc.?
Ou estão apenas recebendo os vencimentos de fim de Mês para andarem de carros novos, viajando pelo Brasil afora enquanto os 'coitados' dos esperantinenses estão excluídos dessa fatia da pizza pública pela qual a Câmara Municipal come todo mês?

Talvez este pequeno 'cachorro' vira lata que vos escreve esteja se metendo em briga de cachorro grande. Mesmo assim aqui estou latindo em prol de nossa gente.

O espaço está aberto para as respostas, se é que tem respostas.

"Sou o que eu penso, para vocês, sou o que eu transmito".

Fto - revistaaz

Nenhum comentário:

Postar um comentário